quinta-feira, junho 02, 2016

Pornografia: Agente Provocador

Companhia das Letras
Pornografia e erotismo podem ser usados para confrontar valores morais de uma época? Não responda agora, primeiro vamos falar sobre Pietro Aretino e sue controverso Sonetos Luxuriosos.

Escritos por volta de 1525 o que começou como uma brincadeira realizada anualmente para divertir o povo aos poucos foi tomando proporções maiores e desafiando a alta sociedade italiana da época. Feitos de forma clandestina o que deve ter garantido o tom utilizado pelo autor, sem papas na lingua é apenas uma expressão fofa usada nesse caso, já que ele vai além e nos expõe a um erotismo pouco imaginado para a sociedade europeia do século XVII. Satiricamente perigoso o autor teve de deixar Roma e ir para Veneza quando seus inimigos revelaram que ela era o autor dos sonetos, lá ele viveu num palácio cercado por belas mulheres e estimados por nobres e reis que conheciam o poder de suas palavras destrutivas e então o enchiam de presentes e regalias.

Pietro Aretino é a maior prova de que o sexo pode ser usado para revolucionar a sociedade, despertando vários sentimentos que vão de estado de choque à ira por parte das vitimas de suas nada doce palavras.

O livro publicado pelo selo Má Companhia (Companhia das Letras) em 2011 é uma edição bilingue Italiano/Português e deve ser "desfrutado" com cautela. Leia alguns trechos disponibilizados pela editora aqui.