quinta-feira, novembro 24, 2016

Memórias de um vendedor de mulheres

Autor de Eu Mato

Quais razões levam alguém a se tornar um cafetão? Será apenas por dinheiro? Será por poder exercer algum tipo de poder sobre outras pessoas, não apenas mulheres? Quais os motivos de Bravo um homem conhecido e ao mesmo tempo anônimo levar a vida que leva? É com uma narrativa genial que Giorgio Faletti nos apresenta essa trama cheia de intrigas e reviravoltas fazendo o leitor perder o folego a cada página.


De cara Bravo conta sua história ou melhor parte dela, a parte que parece ser a mais importante e que eu não irei revelar aqui num prologo que já nos mostra em que tipo problemas vamos nos meter, a história se passa em Milão em 1978, quando a Itália vive um clima de tensão pelo sequestro do ex-primeiro ministro Aldo Moro. Como de costume Bravo se reúne com alguns amigos num bar e só sai de lá quando o dia está quase raiando, é nessa saída que ele conhece Carla e é a partir desse encontro que sua vida mudará completamente em poucos dias. Num contraponto da vida nada calma do protagonista, somos apresentados a Lúcio, o vizinho de bravo, um cara cego que leva uma vida tranquila e ataca como músico as vezes. A única agitação de sua vida parece ser os criptogramas que ele e Bravo lançam como desafio um ao outro.

Apesar do segredo do protagonista revelado no prólogo a historia não se desenrola em torno dele, muito pelo contrario, esse parece ser um coadjuvante sendo mencionado apenas nas lembranças e pesadelos que o protagonista tem sobre o ocorrido. Num ambiente de discotecas e cassinos clandestinos onde a máfia e a criminalidade tomam conta da Itália, Bravo é quase uma celebridade sendo procurado por grandes empresários vindos de outros países e políticos poderosos em busca de diversão com as garotas de Bravo, ao mesmo tempo anônimo já que a discrição é a alma do seu negócio.


sexta-feira, novembro 11, 2016

Muito terror e risadas com La leyenda de la Llorona

Llorona pelicula
Uma das boas surpresas que a Netflix me indicou esta semana foi o filme "La leyenda de la Llorona", baseado na lenda da Llorona (Chorona) do folclore latino americano onde a alma de uma mulher que perdeu seus filhos vaga por um vilarejo sequestrando crianças acreditando ser seus filhos perdidos. Nessa versão animada da história Leo San Juan e seus amigos partem em uma aventura para pegar o espectro que assombra um povoado, quando o balão em que eles viajam cai em meio a uma tempestade.

Enquanto Kika uma menina tagarela e muito sapeca e seu irmão Beto estão batendo de porta em porta pedindo "calaverita" uma espécie de de doces ou travessuras do Halloween, Kika decide ir sozinha até uma casa e lá ela dá de cara com a Llorona que tenta sequestrá-la, mas Beto se sacrifica pela irmã sendo sequestrado pelo fantasma. Leo San Juan recebe uma carta pedindo ajuda com a Llorona e é nesse momento que seu balão entra numa tempestade que o separa de seus amigos, ele cai em cima de Kika e seus amigos são levados até a Ilha dos Bonecos. Leo parte em busca de pistas sobre o esconderijo da Llorona e Kika sem que sua mãe saiba vai atrás dele se metendo em mais confusões. Enquanto isso seus amigos enfrentam um exercito de bonecos sinistros na ilha e tentam fugir de lá.

Com 76 minutos de duração a animação lembra a serie animada do Sítio do Picapau Amarelo, lançado em 2011 A Lenda da Chorona é um filme de animação, terror, comédia e aventura com roteiro de Omar Mustre, Alberto Rodriguez, Ricardo Arnaiz e Jesus Guzman e dirigido por Alberto Rodriguez. Garantia de algumas risadas principalmente por causa da Kika e das "calaveritas de azúcar", valeria muito a pena assistir com as crianças caso tivesse dublagem em português. É uma boa pedida para uma tarde de feriado!

llorona

la leyenda de la llorona