quarta-feira, dezembro 21, 2016

Vamos nos aventurar em Abhacky?



Recebi Abhacky do próprio autor Mario P. Paiva e fiquei bastante interessado apenas lendo a sinopse, de cara já adianto que a leitura foi ótima e bem fluida. Se você gosta de fantasia então vem comigo se aventurar por esse reino!

O nascimento de uma criança amaldiçoada é que temos já no prólogo onde o pai é obrigado a matar o parteiro para salvar a vida da criança e ao constatar que sua mãe havia morrido no parto foge com o filho... Então numa passagem de tempo de 15 anos somos levados a Abhacky onde conhecemos os irmão Senty mais calmo e centrado e Valentim mais impulsivo e que acaba sempre se metendo em confusões, levando o irmão junto. Porém, eles acabam se metendo numa confusão muito maior quando eles invadem a biblioteca do castelo e um homem misterioso aparece e além de roubar um livro atea fogo em outros e se não fosse por Valentim e Senty tudo seria queimado. Essa é apenas parte da história e os acontecimentos posteriores vocês podem conferir no vídeo no fim da postagem.

O livro está disponível em versão física apenas por contato direto com o autor através do email marioppneto@gmail.com e em ebook na Amazon. As páginas são brancas e a fonte tem um tamanho agradável até pra quem tem miopia e astigmatismo, meu caso rs. A trama é muito envolvente e o final te deixa querendo muito o segundo livro, sim esse é apenas o primeiro!


quarta-feira, dezembro 07, 2016

Série Easy - Vidas normais e sexo cotidiano



A Netflix está em constante atualização de conteúdo e agora tem trazido muitas séries próprias ao catálogo, algumas fazem mais barulhos que outras e geralmente me sinto mais atraído pelas menos barulhentas é o caso de Easy, que também me foi indicada por um amigo. Mesmo não sendo uma das mais novas a série que estreou mundialmente em 22 de setembro de 2016 é pouco comentada.

Tratado como um tabu em algumas e com muito glamour na maioria o sexo geralmente deixa de ser sexo e passa a ser um espetáculo diante das câmeras, ambientada em Chicago a série explora diversos personagens no decorrer de seus oito episódios e tudo começa numa festa e um papo sobre? Adivinhou quem pensou SEXO! O mais interessante da série além do elenco que tem um que de gente como a gente, o sexo é encarado como consequência da vida e afetado pelo cotidiano, tecnologia e cultura. Personagens com dramas reais que vão desde conseguir transar quando tem se filhos pequenos, o desejo ou não de ser mãe ou tentativa de se encaixar em algum grupo. Resumindo o sexo acontece como parte da vida dos personagens e não como foco principal, o que torna tudo mais próximo da realidade. Quando eu digo próximo da realidade não quero dizer que tem cenas pornográficas reais, se está esperando por isso ou corpos nus perfeitos procure outro título para assistir.

O que talvez passe desapercebido é que as situações apresentadas na série parece sempre ter existido, mas por questões sociais e tabus elas só estejam sendo discutidas mais abertamente agora e não apenas os dramas sexuais, mas as situações e a vida adulta como um todo e tudo isso com uma abordagem leve e nada apelativa.

Em oito episódios com cerca de 20 minutos cada e dialogos que beiram o improviso, tornado ainda mais realista, a série criada e dirigida por Joa Swanberg está na primeira temporada e conta com nomes de peso no elenco como Orlando Bloom, Malin Akerman, Jake Johnson, Marc Maron, Dave Franco, Hannibal Buress, Emily Ratajkowski, Michael Chernus, Gugu Mbatha-Raw, Aya Cash, Jane Adams, Elizabeth Reaser, Evan Jonigkeit. Uma boa pedida para quem gosta de séries curtas que misturam drama e comédia.


quinta-feira, dezembro 01, 2016

É vergonhoso ler poucos livros em um mês?

Você já deve ter visto leitores se lamentando por ter lido cinco livros ou menos em um mês. Isso é realmente lamentável?

Nem sempre há tempo para se dedicar a leitura, tem escola/faculdade ou trabalho e ainda a combinação dos dois em alguns casos. Então nem sempre é possível ler "muito" ou tudo o que se quer, ler no ônibus ou metrô é uma arte que nem todo mundo domina e em certas filas também não dá. E claro também existe o fato de que alguns livros tem uma leitura mais "difícil" que outros, além da quantidade de páginas, além de cada um ter seu próprio ritmo.

Então ler poucos livros mensalmente não deveria ser motivo para desanimo, deveria ser animador o fato de ler por si só, afinal ler não é uma competição e nem sempre quantidade é qualidade. Pensem nisso e deixem suas opiniões!