sexta-feira, março 03, 2017

NOTA DE SINCERIDADE


Não encontrei maneira melhor de começar esse texto se não com uma musica forte o bastante pra me fazer botar pra fora pelo menos metade do que quero dizer e como diz a musica “desculpe se eu não finjo”.

Como é sabido por muitos desde 2016 durante o carnaval (a organização começa bem antes) um grupos de blogueiros/booktubers realiza uma maratona literária chamada Carnatona, fato que é conhecido por muitos pela divulgação em diversos grupos e redes sociais, ocorreu que um grupo aqui de Maceió usou o mesmo nome para promover uma maratona também durante o carnaval. Até aí tudo bem, poderia ser uma coincidência. O problema é que não foi!

Primeiro fato esse foi o meu primeiro ano na Carnatona, tanto na organização quanto no evento, claro eu espalhei em todas as redes sociais possíveis e vinha falando sempre desdebcerca de um mês antes e alguns dos membros desse clubinho me seguiam ou eram meus amigos no Facebook e inscritos no meu canal no Youtube, eram porque bloqueei todos mesmo! Voltando, se os tais fulaninhos tinham contato comigo e com outros membros da organização do nosso evento, inclusive participando em grupos com abrangência nacional, é óbvio que eles sabiam. Nós fomos lá na postagem deles reclamar. E como crianças mimadas que querem estar certas mesmo quando estão erradas tentaram nos mostrando apenas como são baixos e fingidos. Só não sabiam que na arte do afronte eu sou PhD!

Agora vem a pior parte os coitadinhos postaram uma “nota de esclarecimento” dizendo que não sabiam do evento e querendo jogar shade, que não tinham apoio de editoras e diferente de nós que “queremos trabalhar com isso não estavam ganhando nada e só queriam incentivar a leitura”, que somos crianças, deselegantes e que booktubers famosos já usavam o nome carnatona em 2012.

Vamos deixar as coisas claras aqui: NENHUM ORGANIZADOR DA CARNATONA RECEBEU UM CENTAVO SEQUER DE EDITORA, todos os livros foram sorteados ou dados como prêmios de desafios e participação aos inscritos no evento e alguns serão enviados por nós mesmos com o nosso dinheiro. E se queremos trabalhar com isso não vejo problema algum, qual o problema em trabalhar com o que se gosta? Afinal os boletinhos chegam sempre na mesma data. E outra qual o problema em ganhar dinheiro com livros? Vamos para de fingir que somos ingênuos, um livro é um produto assim como um cd, um dvd, um batom, vamos fingir menos essa visão romântica que não se deve ganhar nada quando existe uma parceria ou esse pessoal é tão Alice e acha que jornalistas escrevem resenhas de livro apenas pelo prazer de ler? Será que eles são contra o #ValorizeOBooktube?

Chamando atenção a outro ponto esse ano eu fiquei responsável por fazer a parte visual imagens de capa e perfil e outras coisas e isso dá um trabalho danado, então quer dizer que eu não tenho o direito de reclamar quando vejo alguém agindo de má fé? Porque mesmo que eles não tenham usado nenhuma das artes feitas por mim isso pode gerar uma certa confusão entre as pessoas e quem sabe se eles não tiveram pessoas participando achando que era a nossa, já que uma das desculpas que deram foi que o evento era intimo. Evento intimo divulgado em rede social aberta eu nunca vi. Repararam como não é só pelo nome? Principalmente vindo de pessoas que defendem que livros são apenas arte é no minimo curioso que usem nome de algo em que já existe até uma identidade visual, uma total falta de respeito com o trabalho do outro, é justo? Isso sem contar todo o trabalho de organização, contabilização, divisão de prêmios e tantas outras tarefas divididas entre os membros da organização.

Para essas pessoas o problema se resume a inveja e recalque porque um dos participantes falou o nome Carnatona no jornal local como se isso fosse lá grandes coisas, vou te falar o que são grandes coisas agora. Grandes coisas são conquistar amigos, respeito e admiração mutua entre participantes e organizadores, e que sucesso e ibope são coisas diferentes e isso não tem embusteiro que nos tire!


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário